segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

            A vida é mais simples do que a gente pensa; basta aceitar o impossível, dispensar o indispensável e suportar o intolerável. 
                           
                                                                                      (Kathleen Norris)

sábado, 28 de janeiro de 2012

Decifrável

Procuras fora de ti
E dentro de ti
O mal que te consome.
Olhas em volta
Fixas no nada
É a alma de um homem.

O orgulho, ó orgulho
És o ramo apodrecido
Ferindo a alma,
És bandido
Porque te escondes?

Mostra a tua cara
Revela a tua tara
Admite a tua falha
Pois estás perdido,
O homem está remido.

Na nuance de um luar
Mudas o teu olhar
Expressas o teu amar
Estou contigo

Lança o teu fardo
Abre o teu sorriso
Agradece o Infinito
És bonito.

(Marry)


sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

O QUE É PECADO?

      Odiar e matar — ambos são homicídio diante de Deus. Mas diante dos homens, somente o último é pecado.
              E por que?
              Porque os homens não podem julgar segundo o coração, mas apenas conforme a aparência.
              Daí o ladrão que morria ao lado de Jesus na Cruz, ter sido absolvido por Deus de todo o pecado, mas não ter sido livre de morrer pelos seus crimes objetivos, conforme a lei.


              Caio Fábio

Tênue

Estava aflita a minha alma
Passando por muitas águas
Submergindo no seu clamor.
Foram tantos desabafos
Tantas lutas
Que cansaço!

Deixou-se levar pelo tempo
Elegeu-o como bom amigo
Rendeu-se aos seus conselhos
Não teme mais o perigo.

A calma que lhe acalma
Uma paz que lhe devora
Viver basta, agora
Olhar à frente
Não ignora
O que a vida vai lhe ofertar.

Minha alma, ó minha alma
Cada dia tu te transformas
Tua vocação te dá a forma
Na perseverança de ser quem é.
Alguém pode entender
O que vai na alma de uma mulher?

(Marry)




quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Alma de Mulher

Amar é o teu respirar
Sonhar entre laços e fitas
E nos trilhos do teu andar
Te perdes
No deleite da tua carência
Te enrolas

Teu é o desejo
Tua é a expectativa
Projeta o teu futuro
Sem querer, constróis muros
Pois livre, deverias ser.

Mulher, simplesmente
Fêmea que se esgueira
por entre as fendas da vida
Nos olhos, uma ferida
Na alma, uma guerreira

Arranca do peito um suspiro
Esquece a dor do gemido
De novo, com olhar altivo
Atira-se no precipício
Não teme o que acredita

Mulher
Sensível companheira
Frágil, incompreendida
Forte e decidida
Entre fios de esperança
Encanta-se diante da vida

(Marry)

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

É impossível ser feliz sozinho!

Vinícius de Moraes, um romântico inveterado, afirmava aos quatro cantos: é impossível ser feliz sozinho! Já o psiquiatra Flávio Gikovate afirma exatamente o contrário, em entrevista à revista VEJA: "... os solteiros felizes levam hoje uma vida bem serena e sem conflitos. Quando sentem  uma sensação de desamparo... resolvem a questão sem ajuda... Os solteiros que não estão bem são geralmente os que ainda sonham com um amor romântico..."

E você, o que pensa a respeito?
Você sabe se cuidar quando está sozinho? Quer dizer, ter um grupo de amigos, ler um bom livro, ir a um cinema, escolher um bom restaurante, ter um hobby, gostar do que faz, gostar de si mesmo, ter sonhos, planos, existir? Ou é do tipo que lamenta não ter ninguém por perto e imagina: "puxa, só serei feliz o dia em que trouxer para minha vida um grande amor"?
Na mesma entrevista o psiquiatra informa que, com base nos atendimentos que faz, só 5% dos casados são felizes. Por quê?
Bem, nessas relações o que impera é a busca pelo diferente. E, quando opostos se atraem, um se submete e o outro manda. Um é egoísta e o outro generoso, e assim por diante. Esse padrão, com o tempo, gera ressentimento, mágoa, dor e sofrimento e, são coroados pela falta de diálogo, pela mentira, pela traição e, por consequência, pela baixo autoestima, pelo viver em função do outro, o abandonar-se, o ser abandonado, etc., etc..
Então o que vai ser? Namoro ou amizade? Casamento ou solteirice?
É preciso compreender que toda escolha tem um preço. Toda escolha demanda renúncia, perda, compromisso, ganhos e perdas. Ou seja, se a questão é pagar para ver, que seja, então, para fazer direito.
Por que não entender e aprender um pouco com padrões que não dão certo? Por que não mudar e transformar a vida, visando não um amor ideal, mas sim um amor possível? E, nesse sentido, por que não decidir todos os dias pela mesma escolha? Por que não construir, com o outro, a relação? Uma relação onde os dois lados crescem e aparecem?
Difícil? Bem, quase impossível, se formos analisar as estatísticas. Podemos, por isso, escolher entre ficar e aumentar o bolo dos 5%, os que dão certo, ou engordar a fila dos outros 95%. E, o que precisamos para tal? Aprender, aprender a nos conhecer. O autoconhecimento é ainda a única chave para conhecer o outro.
O mundo nos tira do centro, nos tira do Ser e, se não estamos centrados, diria a vocês que é impossível mesmo ser feliz. Só ou acompanhados, vamos amargar nossa solidão — que está dentro. Vem do vazio de não nos sabermos como parte do cenário. É quase existencial e, como tal, complexa, de difícil compreensão.
Vale, no entanto, refletir e encontrar o seu caminho para dentro, para o centro, para a harmonia que nos faz mais, melhor, nos faz quem somos. Incluir o outro e, a partir de então, viver uma relação saudável, será mais possível.
Sandra Maia é autora dos livros Eu Faço Tudo por Você — Histórias e Relacionamentos Codependente

Mulher nota 10!

"Boa-tarde! Vou direto ao ponto. Quero que me ajude a compreender por que me incomoda tanto a cobrança, que beira a chantagem emocional, para que eu seja NOTA 10.
Por que o outro não pode me aceitar exatamente como sou, ou melhor, estou? Não quero mais ser 10, não quero atender meu parceiro em todas as suas necessidades. Eu quero namoro, ele quer sexo. Eu quero ser cortejada, ele quer ação. Eu quero carinho, ele quer agressão. Eu quero amor, ele quer tesão. Estou numa fase de transformação. Já não sou tão jovem e quero sossego...".
O que você diria a ela? Deixar de ser 10? Encostar e morrer? Esquivar-se a todo momento do marido? Fazer de conta que não é com ela? Não se incomodar com a cobrança? Sair do jogo?
Então, meu convite a essa mulher é não passa nem perto dessas questões. Acho que tudo é mais profundo e precisa de compreensão. Primeiro, nascemos para evoluir, nos transformar, ser cada dia melhores. Então, por que não ser NOTA 10? Por que não ser a melhor?
Não digo que esse movimento tenha de ser feito de forma submissa, com o objetivo atender o outro sob cobrança e ameaça. Não! Não é ser 10 para o outro, para o que ele pensa ser 10.
Mas, sim, que esse movimento pode e deve ser feito para nos atender. Ah, nisso, sim, eu acredito! Ser 10 para si mesmo. Para o que nos faz feliz conosco.
E não é mesmo fácil encontrar dentro forças para ser e acontecer. Por vezes, estamos tão cansados de tudo, da vida, do outro, que nos deixamos morrer... Encolhemos e nos tornamos antigos!
Mas lembrem-se: podemos fazer diferente. Podemos fazer por nós. Não vamos nos abandonar. Não vamos desistir de nós. Vamos batalhar pelo 10 para nós. 10, porque é bom estar de bem com a vida. É bom estar com a autoestima em alta. 10, porque nascemos para brilhar. 10, porque queremos e podemos!
E como para tudo há um tratamento específico, se a questão é física, metabólica, que tenhamos coragem de buscar ajuda. Se for emocional, mental, espiritual, que tenhamos força para buscar ajuda.
De fato, qualquer atitude é melhor que nenhuma atitude. Então, faça. Faça por você. Faça porque é bom. Faça porque se ama. Você verá que com o tempo a relação melhora, e vocês, com certeza, chegam a um acordo que seja bom para os dois lados. As vezes precisamos abrir mão de algumas coisas, outras, temos de nos colocar e, conquistar espaço para Ser.
Quanto as exigências dele, negocie. Uma relação a dois saudável precisa ser boa para os dois lados... E, para isso, converse, dialogue, confronte. Fale para outro de seus sentimentos, suas necessidades. Fale também do que quer e não quer, gosta e não gosta. Encontre no outro um parceiro, encontre em você, amor.  Encontre no outro suporte. Encontre em você, força.
A relação cresce. Os dois amadurecem. A vida floresce. Fique com Deus.
(Por Sandra Maia)

‘Eu faço qualquer coisa por ela!’

Esse assunto, que li num blog, despertou min ha curiosidade: homens reclamando de suas companheiras, porque eles fazem tudo por elas e recebem em troca quase nada.
Muitos dizem atender a todas as vontades de suas companheiras. Até as mais estranhas. E nada! A retribuição, além de parca, era premiada com uma frase do tipo: "Amor, você é muito bonzinho! Não precisa agir assim. Não precisa fazer tudo por mim. Cuide-se também!"
Ou seja, o recado estava dado. Traduzindo a frase acima, as companheiras queriam  dizer: "Estou sufocada, não aguento tanto cuidado, não quero tanta babação, dê-me espaço, dê-me um tempo! Você não tem nada melhor para fazer? Saia, vá ficar com seus amigos, faça algo por você! Exista! Onde está aquele homem por quem me apaixonei?".
Então, se vocês, homens ou mulheres, escolheram fazer tudo pelo outro e esperam tudo de volta, parem! Não se anulem. Não tentem anular o outro. Não se abandonem, não controlem, pois serão os controlados. Não deixem de ser quem são. Ao contrário, invistam em vocês, no seu autoconhecimento, no seu crescimento, no seu ser. Equilibrem-se em relação ao outro e ao relacionamento. Equilibrem-se em relação ao dar e também receber.
Fazer a vontade do outro todo o tempo nos coloca em uma posição de quase CAPACHO, e ninguém, ninguém em sã consciência, aguenta se relacionar com uma pessoa assim.
Por isso, fica aqui meu convite: Se você está no papel de quem faz tudo pelo outro — MENOS. Busque ajuda, leia mais sobre AMAR DEMAIS, talvez o ajude a compreender o tamanho do problema. Se você está do outro lado de quem é controlado, convide o outro a buscar ajuda. Não estimule esse tipo de atitude. Não deixe que tudo piore até ficar insuportável.
Uma relação, lembrem-se, é construída a dois. E quando se está dentro não conseguimos compreender o que está errado, então o melhor é buscar ajuda. E, nesses casos, terapia ou grupos de ajuda podem fazer maravilhas.
Sandra Maia é autora dos livros Eu Faço Tudo por Você — Histórias e Relacionamentos Codependentes, Você Está Disponível? Um Caminho para o Amor Pleno e Coisas do Amor

Sol lança forte tempestade geomagnética sobre a Terra

A tempestade geomagnética mais forte em mais de seis anos deve atingir a Terra na terça-feira, e pode afetar as rotas aéreas, redes de energia e satélites, disse o Centro de Previsão Meteorológica Espacial dos Estados Unidos.
A ejeção de massa coronal - uma grande parte da atmosfera do Sol - foi lançada em direção à Terra no domingo, conduzindo partículas solares energizadas a cerca de 2.000 quilômetros por segundo, cerca de cinco vezes mais rápido do que costumam viajar as partículas solares, disse Terry Onsager, do Centro.
"Quando nos atingir será como um grande aríete que empurra o campo magnético da Terra", disse Onsager, de Boulder, no Colorado. "Essa energia faz com que o campo magnético da Terra flutue".
Essa energia também pode interferir em comunicações de alta frequência de rádio, usadas pelas empresas aéreas para navegar próximo ao Polo Norte em voos entre a América do Norte, Europa e Ásia, portanto algumas rotas podem ser mudadas, disse Onsager.
Também pode afetar redes de energia e operações por satélite, disse o Centro em um comunicado. Astronautas a bordo da Estação Espacial Internacional podem ser aconselhados a buscar abrigo em partes específicas da aeronave para evitar uma dose solar reforçada de radiação, disse Onsager.
O Centro de Meteorologia Espacial disse que a intensidade da tempestade geomagnética seria provavelmente moderada ou forte, nos níveis dois e três de uma escala de cinco níveis, sendo o cinco o mais extremo

SP deixa de fornecer sacolas de plástico a partir de 4ªf

A partir de hoje, pelo menos 80% dos supermercados do Estado de São Paulo deixarão de fornecer sacolas plásticas para seus clientes. Caixas de papelão e sacolas retornáveis são as opções mais comuns oferecidas pelas redes. Quem quiser, também poderá adquirir sacolas biodegradáveis por cerca de R$ 0,20.
A iniciativa de tirar as sacolas dos caixas é fruto de um acordo entre a Associação Paulista dos Supermercados (Apas) e o governo do Estado de São Paulo. Preferiu-se este caminho à adoção de uma lei. "Optamos pelo diálogo com o setor", afirma o secretário do Meio Ambiente, Bruno Covas. "O acordo é voluntário por parte das redes." Ele recorda que algumas cidades, como Jundiaí, chegaram a aprovar legislações para proibir as sacolas, mas foram julgadas inconstitucionais. No caso de Jundiaí, a prefeitura assinou depois um acordo com os supermercados locais e obteve o resultado que não alcançara com a lei.
Para ambientalistas e gestores públicos, a medida tem um importante valor simbólico. Apesar de as sacolas só representarem uma pequena parcela do volume total de lixo descartado, têm o mérito de trazer para o cotidiano das pessoas a preocupação com a sustentabilidade, aponta Fernanda Daltro, gerente de consumo sustentável do Ministério do Meio Ambiente. "As pessoas aprenderão a separar o lixo seco do úmido, que é o que realmente precisa da sacola plástica para não fazer sujeira."
Outro lado. "Essa lei foi aprovada por interesse econômico (dos supermercados) e não ambiental ou social", critica Miguel Bahiense, presidente da Plastivida, entidade que representa institucionalmente o setor dos plásticos. Ele estima em R$ 500 milhões a economia das redes com a restrição. "Vão repassar essa economia para os clientes? Duvido."
Ligia Korkes, gerente de Sustentabilidade do Grupo Pão de Açúcar - dono da rede homônima e do Extra -, afirma que o dinheiro obtido com a economia das sacolas plásticas e com a venda das sacolas retornáveis será revertido para ações de sustentabilidade do grupo

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

DIÁLOGO COM O MUNDO

“O que leva as pessoas a se envolverem, tão apaixonadamente, com suas formas particulares de expressão? (...) Talvez a necessidade de estabelecer um diálogo com o mundo seja mais intensa e nossos processos expressivos se constituam em rotas para o auto-conhecimento.”

                                                                                                                                 (Luis Humberto)

ALMA DE ARTISTA

 O artista muitas vezes se ressente do isolamento, 
deseja o diálogo, a comunicação com o outro, 
a fim de melhor compreender
 e concretizar o seu processo criativo,
 que resultará na obra."


(Joaquim Paiva)

Tá certo!

Desde abril de 2011 está vigorando uma lei que proíbe o uso dos sacos plásticos na capital mineira, Belo Horizonte. Além da legislação, a cidade trabalha em uma campanha de conscientização chamada “Sacola Plástica Nunca Mais”.

Os pontos de varejo, como padarias, lojas, supermercados, entre outros, deverão usar sacolas biodegradáveis, feitas com amido de milho, que estão à venda nos comércios da cidade por R$ 0,19. Estas sacolas são parecidas com as tradicionais o que as difere é a sua composição. Ao invés de ter como matéria-prima o petróleo e levar centenas de anos para se decompor, as biodegradáveis são feitas com material orgânico e se desfazem em apenas 180 dias.

Durante os próximos 45 dias o governo local trabalhará na divulgação da campanha de conscientização, por isso os estabelecimentos não serão multados. Após esse período, os comerciantes que estiverem fora do que foi determinado na lei serão condenados a pagar multas de até mil reais.
Além dos sacos biodegradáveis, os estabelecimentos estarão equipados com sacolas retornáveis e deverão incentivar os clientes a usarem alternativas ecologicamente corretas, como reaproveitar as caixas de papelão ou carrinhos. Dessa forma a prefeitura espera chegar à redução de 80% na utilização desses materiais prejudiciais ao meio ambiente.
Outras cidades brasileiras já aplicaram legislações parecidas, como é o caso do Rio de Janeiro e de Jundiaí, no interior de São Paulo. Com informações do Estadão.


Brasília não
Já a capital brasileira não segue o exemplo. Ou melhor: não dá exemplo (como seria de se esperar). Os deputados elaboraram a lei proibindo o uso das sacolas plásticas, a qual deveria vigorar a partir deste ano, mais foi misteriosamente engavetada. Quem fez isso? Por quê????????????

Fé-menina

Viver a vida parece fácil
Cultivar a beleza, importar a forma
Seguir padrões, não destoar
Pensar sem medo
Assim não dá

Sentir a alma,
Buscar a calma
Querer sorrir, sem se inibir
Olha pra dentro e não se ver
Que coisa triste seguir adiante
Ser diferente, inexistir

Romper com tudo
Melhor ser nada
Ter a coragem de transformar
Gritar pro mundo com liberdade
Sofrer o novo e se encontrar...

domingo, 22 de janeiro de 2012

É prática!

Tenho bons motivos para abolir a sacolinha de plástico na hora das compras e adotar a tradicional sacola de pano. Um deles, e o mais importante, é colaborar com a preservação do nosso planeta. Afinal, ele é a nossa habitação no sistema planetário. Já pensou se eu passasse a depositar nos cantos da minha residência todas as embalagens descartáveis e elas - a sacolinha, por exemplo - levassem 300 anos para se decomporem?


Além desse nobre motivo, outro é a praticidade. Acho tranquilamente mais fácil colocar minhas compras na sacola de pano, quando estou no caixa do supermercado, do que ficar esfregando aquela intolerável sacolinha para ela desgrudar e abrir. Fico tão... tão irritada, que minha vontade é gritar de indignação. Sem falar que o supermercadista não paga a gente pra ser empacotador, hein!!!

É uma pena!

Os homens perdem a saúde para juntar dinheiro,
depois perdem dinheiro para recuperar a saúde,
e por pensarem ansiosamente no futuro,
esquecem do presente de tal forma que acabam por
Não viverem nem o presente e nem o futuro.

E vivem como se nunca fossem morrer...
E morrem como se nunca tivessem vivido.

O útil com o inútil.

Recriar o que já foi criado
Dar nova forma, vislumbrar ícones antes pensados.
Arte daquele que sente e pressente o que está por vir
Um novo tempo, um conceito que res-surge das cinzas do consumismo
Que emerge e cresce na necessidade de continuar a existir.


Tudo se cria a partir da inutilidade. E vira arte.
O belo, o intrigante, o enigmático...
O novo que surge do velho, do descartável, do que já foi.
O olhar se renova e vê o que não era visto
Desfruta da descoberta do que era perdido
E se deslumbra no fulgor da esperança
Da certeza de que é possível
Encontrar encanto no desencanto.

(Minha leitura da arte intrínseca de Chico Sena)
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...